Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão garante recursos para reaparelhamento através do Comitê de Proteção à Amazônia Legal

Apesar da convivência antiga com o homem, os incêndios florestais são eventos que ainda provocam enormes prejuízos em todo o mundo. No Brasil, em especial na região Amazônica, os estragos deixados pelos avanços das queimadas comprometem a sustentabilidade de todo um rico ecossistema, atingindo diretamente as comunidades próximas e gerando outros grandes danos em todo o planeta.

Nosso país é considerado um dos mais ricos em biodiversidade, contudo, existem animais presentes na Amazônia Legal que podem ser extintos em poucas décadas em decorrência do avanço do fogo. Com uma grande variação de habitats, a Amazônia acaba por abrigar uma infinidade de espécies vegetais e animais. Até o momento, estudiosos já contabilizaram pelo menos 40.000 espécies de plantas, 3.000 de peixes, 1294 de aves, 427 de mamíferos, 428 de anfíbios e 378 de répteis na região.

Com o objetivo de proteger tamanha riqueza brasileira, desde 2016 vem se materializando uma verdadeira força tarefa entre os estados que compõem a Amazônia Legal. Através de uma iniciativa dos comandantes dos Corpos de Bombeiros dos estados do Amazonas, Amapá, Acre, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Roraima e Tocantins, foi criado o Comitê de Proteção à Amazônia Legal (COPAL), que busca a integração dos organismos federais, estaduais, municipais, privados e ONG’s para o melhor emprego, compartilhamento e otimização de recursos em prol da segurança ambiental da Amazônia.

Além das atividades de coordenação, execução, monitoramento e preservação do Bioma Amazônico, o COPAL tem como meta o fortalecimento dos Corpos de Bombeiros Militares da Amazônia Legal no que diz respeito à aplicação de recursos humanos, equipamentos de combate a incêndios florestais, logística e mobilização de militares para o desempenho das missões.

Essa reorganização dos estados tem rendido frutos de grande valia em defesa da Amazônia. Na última quinta-feira (14), em mais uma reunião dos comandantes do COPAL, desta vez no estado do Rio de Janeiro, na sede do BNDES, mais um importante passo foi dado no sentido desse fortalecimento, já que o Maranhão garantiu que importantes recursos do fundo de investimentos do BNDES sejam aplicados em benefício do reaparelhamento do Corpo de Bombeiros em 2018.

“Nesta importante reunião, acabamos de receber o aval para a inserção do Maranhão e mais outros três estados, que também não haviam sido contemplados pelo programa de investimentos do BNDES. Já no início de 2018, apresentaremos o projeto de reaparelhamento, que sem dúvidas será o início de um novo momento, que marcará uma era de significativos avanços em nossa Corporação”, afirmou com entusiasmo o Coronel QOCBM Célio Roberto, Comandante Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão.